Livrarias e novas estratégias

Há quase um ano e meio atrás eu escrevia uma artigo na Revista Pessoa sobre a disputa entre livrarias independentes e gigantesPassado esse tempo pouca coisa mudou desde então mas outros elementos entraram nessa disputa, muitas editoras estão vendendo diretamente em seus sites ou com produtos exclusivo para determinada livraria ou player.

O site The Bookseller criou um concurso entre livrarias indies que teve como vencedora a livraria Dulwich Books  em Londres. Redes sociais são um suporte bem utilizado de acordo com seu target, no caso dessa livraria o twitter tem uma função bem maior de diálogo com o leitor do que o facebook, utlizado apenas para eventos e fotos. Uma newsletter super ativa, com conteúdo criado por livreiros, é praticamente uma revista literária. O que senti falta no marketing digital foi a não presença em redes sociais importantes como Instagram e Pinterest. Algo que provavelmente vá mudar porque no dia 28 de agosto de 2015 foram comprados por  Susie Nicklin,  dona da agência The Marsh Agency. O que pode ser até mesmo assustador poderá ser o começo de uma nova era para a Dulwich Books. Eventos literários, diverisificação de produtos estão na pauta, os antigos proprietários e livreiros continuam na livraria para manter a sua essência. 

Na contramão de eventos e diversificação de produtos está a Livraria Morioka Shoten de Ginza em Tóquio, ela vende apenas um título por semana para mostrar o quanto aquele conteúdo é único e incrível, algo realmente especial.

E a Taschen abre mais uma loja em Selfridges.

Conheça os segredos da The Community Bookstore e como enfrentou o empobrecimento da cidade, empobrecimento do entorno, a gentrificação e o retorno dos antigos moradores e de pessoas ansiosas pelo que a livraria tem de melhor – o atendimento personalizado e com conhecimento.

Uma matéria recente deu 4 razões para o crescimento das livrarias independentes e os motivos parecem ser os mesmos que se baseiam em atendimento como no post que fiz há um ano atrás – experiência, curadoria e atendimento humano, diversificação e apoio da comunidade.

E que tal você conhecer o Hiveuma ótima ideia para que você saiba onde comprar e como ajudar a manter a sua livraria preferida.

“I love too many other bookstores to think that we’re the best at one thing or another, but there is a good-humored warmth and bonhomie here that I’ve seen in few other stores, whether they sell books, shoes or widgets.” Ezra – sócio da The Community Bookstore no Brooklyn.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *