O convívio entre gigantes e independentes

O mercado editorial e suas mudanças foi o assunto da última semana nas rodas dos meus amigos, seja pelas incorporações, livros digitais ou os grandes players e suas políticas de preços. A pergunta que fica é: para onde estamos indo e o que podemos aprender com mercados que já passaram por algo similar? Nesse post, colocarei algumas ações que já estão sendo implementadas ao redor do mundo, não para manutenção de um sistema mas uma convivência saudável entre gigantes editoriais e editoras independentes.

Um grupo de livreiros do Texas realmente levou a sério a questão de transformar as livrarias em espaços de convívio e discussão cultural, saiba mais: Praise of indie booksellers

Na Alemanha, saraus especiais com formatos experimentais na apresentação de livros. As editoras independentes e os eventos em pequenas livrarias:
Gourmet Reading for Book Gluttons

A livraria nômade, a feirante

Já existem feiras no Brasil como a Feira Plana e a Pão de forma, mas precisamos de mais ações similares como agregadores de conteúdo para o leitor, assim colocando frente a frente o mercado de massa e o diferenciado:

Feira Pão de forma http://feirapaodeforma.tumblr.com/

Feira Plana

A editora de livros impressos que dita suas próprias regras e dá certo, a Patuá Editora:

Conhecem o Coletivo Compota? http://abraacompota.wordpress.com/

E a Coletivo Confeitaria Mag? http://confeitariamag.com/

Como trazer as novas gerações para leitura? Como chamar a atenção de crianças e jovens?

O jornal The Guardian alerta que algumas editoras podem inovar e começar pelo digital. Concordo plenamente, além disso, poderá ter força com “players” que só pedem descontos e sim se impor como gerador de conteúdo. Apesar de ser um dos 4Ps do marketing, preço é apenas um deles.

Post originalmente feita para Coluna Todas as cousas que há no mundo na Revista Pessoa.

Bibliotecando…

Muito se fala sobre o “Fim do livro” e isso pode ser de certa forma o fim das bibliotecas. Discordo de ambas expressões porque tanto o livro quanto os bibliotecários estão se reinventando nesse novo contexto.
Há pelo menos uns 4 anos sigo vários bibliotecários no twitter e a cada dia os vejo estudando e pensando em como criar iniciativas de promoção da leitura. Selecionei alguns blogs e site que já lia, outros que foram dicas de amigos bibliotecários e também iniciativas muito interessantes sobre como tornar a biblioteca um espaço cultural, inclusive com produtos literários:

Bibliotecários sem fronteiras
Informações sobre a profissão, inovação, arquitetura da informação e mais curiosidades sobre o dia a dia do profissional.

Blog do Aldo Barreto
Dedicado a atividades de treinamento e educação em ciência da informação.

Indexadora Blog
É administrado pela Dora Garrido que é bibliotecária em São Paulo e tem um toque de crônica nas suas postagens.
Você pode ler um dos textos da Dora que fala sobre o futuro da profissão, afinal como ela mesma disse: “ Entre o preto e o branco existe uma margem, bem ampla, dos vários tons de cinza.”

Moreno Barros [@fuckyeahmoreno]
Esse é um blog que acompanho há um bom tempo e sempre com posts esclarecedores não só para bibliotecários mas para todos que trabalham na cadeia produtiva do livro.

Caçadores de bibliotecas
Biiblioteconomia, bibliotecas e espaços culturais (museus, teatros, arquivos), bem como iniciativas de incentivo à leitura e outros. A Soraia Magalhães é Mestra em Sociedade e Cultura na Amazônia, bibliotecária, professora e pesquisadora.

Mundo bibliotecário
O blog Mundo Bibliotecário apresenta informações relacionadas à Biblioteconomia e Ciência da Informação: eventos, concursos e notícias em geral. É administrado por Eduardo Graziosi Silva.

João Paulo da Silva Proença
Bibliotecário português Interessado em Bibliotecas Escolares, TIC, e-learning

Bibliotecarios 2020 – experimentación, aprendizaje, innovación, colaboración….
Blog da professora de biblioteconomia e documentação em Sevilla. Tutorias, formas e experimentações sobre bibliotecas digitais. Além de como edições especiais e iniciativas independentes possuem seu espaço.

The digital shift
A nova biblioteca na visão de estudiosos do assunto do mundo todo.

Waterloo Library
Blog canadense com a participação de vários bibliotecários com indicações de cursos, livros, empregos e com produtos específicos como bottons e camisetas.

E porque precisamos desmitificar a caretice bibliotecária, assim como a livreira…seguem alguns links para que você perceba que somos maníacos por livros, trabalhamos com eles mas somos legais também:

Librarian problems
O melhor about: Hello. My name is William. I’m a Librarian. And I’ve got problems…

Manual prático de bons modos em livrarias
A Hillé Puonto, livreira que conta suas agruras diárias que já virou livro, mudou de cidade mas sua labuta continua a mesma com as perguntas mais inóspitas de clientes não menos exóticos.

Sessão de fotos para desmitificar de vez a figura do bibliotecário.
Espero que da próxima vez que você visite uma biblioteca veja de outra forma esse profissional. Como livreira tenho aprendido muito com eles.

Este post foi originalmente escrito para Coluna Todas as cousas do mundo na Revista Pessoa.

Foto do post by Fernando de França.

Eu, Walter Mitty

Relutei para assistir ao filme A Vida Secreta de Walter Mitty porque sabia que bem lá no fundo aconteceriam algumas coisas como:
1. eu ia chorar
2. amaria a trilha sonora
3. vários personagens corporativos do filme não pareceriam fictícios e me assustaria como “a arte imita a vida”
4. Sim, eu sou Walter

Sim, todos os ítens acima citados aconteceram e não sou Nostradamus mas digamos que me conheço bem….a ponto de saber o quão inocente é acreditar em uma fábula para adultos com uma ótima trilha sonora e uma proposta de vida que todos procuramos: A Felicidade.

Ela pode estar no Himalaia, Islândia, Los Angeles ou bem do seu lado o tempo todo; porque simplesmente pode ser você que esteve aí lendo Schopenhauer e Warren Buffett, vendo palestras no TED de como ser bussiness sem perder a ternura [meta da vida] ou simplesmente falando alucinadamente de filmes cults e livros que você nem viu nem nunca leu…

Mudanças que começam desde ontem e hoje apenas seguem o percurso, simples assim. Não estamos no Vale do Silício, não sou milionária. Busco ser mais feliz, dizer o nome da música mas na verdade é o refrão e ver filme iraniano sim, e não deixar de ver filmes que me fazem chorar porque você se identifica com o personagem trapalhão e sonhador.

Space Odity – (David Bowie + Kristen Wiig) ou para o Walter Mitty é simplesmente Major Tom

http://www.youtube.com/watch?v=ZrZlhD0Oeto