A cultura periférica paulistana – iniciativas

Nesses tempos em que cadernos literários acabam, as feiras pelo país parecem apenas trazer os mesmos nomes de um mercado com necessidade do novo. Eis que algumas iniciativas merecem palmas e quando souber de mais novidades desse tipo tentarei postar aqui no site.

Primeira festa literária de Cidade Tiradentes [Zona Leste de SP]

Tentarei ir no dia 17.09, 14 horas na mesa “A vida em versos – A mulher como protagonista literária” 

ELIZS – Feira Literária da Zona Sul

O que mais me chamou a atenção além de novos autores e agitadores culturais é a representatividade da periferia, o uso do espaço público como parte importante da festa.

Quer saber mais sobre o que acontece na periferia? Aconselho fortemente que siga o site Periferia em movimento e tem também a Agenda Cultura da Periferia.

Apesar da pouca visibilidade ainda o movimento existe, diferente de 20 anos atrás na Vila Antonieta/Jardim Imperador que uma garota de 18 anos precisava vir para os Jardins ou Centro para ver ou ouvir algo relacionado com Cultura e não se percebia nessas manifestações culturais. Essa garota era eu!

“Periferia em Movimento é resistência.

Negrindígena, nordestelatina.
Cultura de rua, poesia de bar, teatro de represa, cinema de garagem.
Potência X carência. Empoderamento X apropriação. Identidade X Pausteurização.
Sonhar de olhos abertos, sem tirar os pés do chão.

Periferia em Movimento é diversidade.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *